Notícia urgente sobre o SOUTHCOM

Saudações desde Washington DC. Notícia urgente sobre o SOUTHCOM

Prezad@ colega:

Eu sou uma antropóloga que tem trabalhado na denúncia do papel que os Estados Unidos teve no golpe de estado que Honduras viveu no ano passado e na denúncia das políticas militares que têm sido implementadas desde aquele acontecimento. Aqui estão alguns dos artigos que escrevi neste ano:

Escrevo esta carta para lhe comunicar sobre um novo e perigoso uso da Acadêmia na atualidade, especialmente com a Antropologia, com o objetivo de legitimar a ocupação militar norte-americana dos países latino-americanos. Falamos da nova associação entre o Comando Sul (o United States Southern Command -SOUTHCOM- é um braço do Pentágono e é responsável pelas bases norte americanas na região) e a Universidade Internacional de Florida (Florida International University, FIU).

Tal como aconteceu no século passado, a indústria militar norte americana continua procurando mecanismos para usar a academia e os conceitos antropológicos para encobrir ações bélicas que são ao serviço das corporações norte-americanas. Na América Latina de 1963 até 1965, se implementou o projeto Camelot o qual deixou um obscuro precedente sobre o uso das ciências sociais na legitimação de operações de contra insurgência (incluindo operações psicológicas). Agora, o Comando Sul e o Centro de Pesquisa Aplicada da FIU têm feito uma associação para trabalhar em estudos da "Cultura estratégica" dos países latino-americanos, cujos informes apresentamos a continuação: Argentina; Bolivia; Brazil; Chile; Colombia; Cuba; Ecuador; El Salvador; Guatemala; Haiti; Nicaragua; Peru; e Venezuela

Em sua página da internet definem a "Cultura estratégica" como "a combinação de experiências e fatores internos e externos - geográficos, históricos, culturais, econômicos, políticos e militares – que formam e influem na maneira de como um país entender sua relação com o resto do mundo e na maneira na qual um Estado se comportar na comunidade internacional". No entanto ao observar os documentos produzidos pelas instituições FIU-SOUTHCOM (anexados a esta carta) é evidente que uma definição mais certeira da "Cultura estratégica" seria "propaganda estratégica para a criação de uma política hegemônica favorável para os interesses militares e econômicos norte-americanos".

É importante compreender que o uso do término "cultura" joga um papel chave já que é central na disciplina antropológica. Com o uso deste conceito, a aliança FIU-SOUTHCOM pretende utilizar a legitimidade e integralidade da Antropologia e de outras ciências sociais para despolitizar e reafirmar a política de ocupação sobre as Américas.

FIU-SOUTHCOM manifestam que sua aliança tem por objetivo fazer uma "pesquisa da mais alta qualidade e gerar um conhecimento que possa ser utilizado na compreensão das dimensões políticas, estratégicas e socioculturais do comportamento de um Estado". No entanto, ao observar o histórico das pessoas que participaram na conferência que FIU-SOUTHCOM organizaram para canalizar o caso de Honduras, a "alta qualidade" é muito menos importante que a criação de uma "propaganda antidemocrática de alta qualidade" que possa ser utilizada para apoiar o governo golpista que tem sido implementado e aumentar a presença militar e econômica dos Estados Unidos.

No 7 de outubro, teve o seminário chamado "A cultura estratégica de Honduras" que contou com a participação de:

  • O Doutor José René Argueta, quem diz que está afiliado à Universidade de Pittsburgh, na realidade não tem mais afiliação com aquela universidade, embora ele obteve seu doutorado lá no ano 2007. Continua a alegar esta afiliação para legitimar sua atuação em Honduras e em todo o complexo antidemocrático e militar que tem-se implementado lá; participando em todo tipo de conferências, desde O Barômetro das Américas (evento patrocinado por USAID), até os programas de Estudos comparativos de sistemas eleitorais.
  • O Doutor Norman A. Bailey representa ao Instituto para o Crescimento Econômico Global, e é "Professor adjunto de economia e do arte da governança" no Instituto de Políticas Mundiais (IWP, são suas siglas em inglês), uma "Escola de pôs graduação em segurança nacional e relações internacionais". Bailey é o autor ideológico de livros como A Invasão Irani ao Hemisfério Ocidental a través da Venezuela e no IWP a "guerra econômica" aparece como uma de suas áreas de especialização. Bailey tem muita experiência em ataques contra a democracia dos países latino-americanos (participação direita nas forças armadas, colaboração em assuntos de inteligência estratégica e planificação de operativos). Além disso, trabalhou como Assistente Especial do Presidente de Assuntos Nacionais de Segurança e do Diretor Executivo dos Assuntos Econômicos Internacionais na equipe do Conselho Nacional de Segurança durante o Governo de Ronald Reagan. Bailey também tem anos de experiência do trabalho no setor petroleiro e no setor da indústria bancária. Recentemente trabalhou como chefe da missão para Cuba e Venezuela, sob o comando do Diretor Nacional de Inteligência John Negroponte. Pode ler mas sobre isto, click aqui. Neste seminário Bailey promoveu o livro do Marco Cáceres chamado The Good Coup ("O Bom Golpe").
  • O Coronel José Amílcar Hernández Flórez é um militar que participou no golpe de estado em Honduras no ano passado. Ele tem estudado na Escola das Américas por três ocações nos seguintes cursos (ordenados por nome, grau, curso, data e país do origem)
    1. Hernandez Flores Jose A. Tte. Curso de Administración de la Instrucción de Unidades Pequeñas 0-2A 21 Julho- 2 Setembro 1982, Honduras
    2. Hernandez Flores Jose Amilcar Tte. Cnel. Curso De Sostenimiento Democratico 6 Abril 15- Maio 1998, Honduras
    3. Hernandez Flores Jose Amilcar Tte. Cnel. Curso Basico De Computadoras 18 Maio- 2 Junho, 1998, Honduras

    Fonte: www.soaw.org

  • O Doutor Ernesto Gálvez Mejía "pesquisador independente". Gálvez foi assessor no governo de Ricardo Maduro, e é assessor do atual embaixador em Washington que representa ao governo de fato do Pepe Lobo. Neste seminário ele declarou que as Forças Armadas hondurenhas têm o direito de atacar e reprimir o movimento de resistência, pois seus membros são violentos e estariam provocando desordem. Ele diz também que as forças públicas de segurança têm a obrigação de exercer monopólio sobre a força para proteger aos cidadãos de "extremistas" (falando das pessoas que têm lutado contra o golpe de estado), aos quais definiu como criminais.
  • Guillermo Peña Panting, do Conselho Hondurenho da Empresa Privada (COHEP). COHEP foi um dos principais promotores do golpe de estado na Honduras, e um dos principais financiadores do mesmo.
  • Marifeli Pérez-Stable quem foi Vice-presidenta para a Governança Democrática e agora ocupa a posição de Associada Principal No Residente no Diálogo Interamericano (Um think thank "liberal" do Washington que tem julgado um rol fundamental na legitimação do golpe de estado em Honduras). É socióloga e professora na FIU.
  • Brian Fonseca da Universidade Internacional de Florida, ex marine norte-americano e graduado do Centro para Estudos Hemisféricos de Defesa da Universidade Nacional de Defesa, no programa “Segurança transnacional avançada, estabilidade e democracia”. Conforme a página de informação (About Us) do FIU-SOUTHCOM, Fonseca supervisiona o programa de “Cultura Estratégica” no Centro de Pesquisa Aplicada da FIU.
  • Moisés Caballero, trabalha com o Fonseca, e também um ex marine e tem ministrado aulas sobre “Princípios da Banca” na "Volunteer State University" como professor adjunto. No sítio web do FIU-SOUTHCOM consta como um “analista”, além disso, estaria finalizando seu mestrado em estudos latino-americanos e caribenhos na FIU, com um enfoque na Cuba e nos estudos cubano-americanos.
  • O doutor Rodolfo Pastor Fasquelle é o único intelectual reconhecido deste grupo. Pastor Fasquelle é um conhecido e respeitado historiador que tem dado aulas em cursos em Harvard e no Colégio de México. Ele tem sido Ministro de Arte e Cultura por duas ocasiões, na última vez durante o governo de Zelaya.

    Neste seminário o Doutor Pastor Fasquelle apresentou-se como "membro da resistência e como um homem leal ao presidente Zelaya", ele participa neste evento porque conhecia as pessoas que iam a estar no mesmo "representado" ao Honduras. Preocupado pelas coisas que observou na conferência e porque sua presença estava sendo utilizada para dar um verniz acadêmico à política norte-americana de militarização sobre América Latina, especialmente na Honduras, o Doutor Pastor Fasquelle compartilhou a informação do evento.

O conceito de “Cultura” vem sendo utilizado para justificar as ações violentas militares dos Estados Unidos em todo o hemisfério, justificar o treinamento e financiamento das Forças Armadas latino-americanas em técnicas de tortura, assassinato seletivo de líderes opositores e para realizar golpes de estado.

Se nossa disciplina vem sendo apossada para legitimar a violência militar, todos nós estamos obrigados a denunciar estas ações nos círculos acadêmicos assim como nos movimentos sócias. Somente através destas ações poderemos demandar a ética da antropologia e das ciências sociais em geral.

É pela gravidade dos fatos apresentados que convidamos a você e seus estudantes a analisar as biografias das pessoas que participam nas oficinas que FIU-SOUTHCOM estão organizando para "discutir" assuntos relacionados a seus países. Adicionalmente, lhe convidamos a denunciar que a pseudo ciência social do complexo militar norte-americano esteja ameaçando a democracia do país onde você reside.

Outrossim, escrevo esperando que possamos nos unir internacionalmente para denunciarmos estas práticas, assim como fizeram vários antropólogos contra os chamados Sistemas de Terreno Humano, utilizados nas guerras contra Iraque e Afeganistão. Juntos, seremos muito mais efetivos na luta contra a militarização que ameaça nossas comunidades.

Aqui sugerimos um modelo de carta que pode ser enviado para as instituições responsáveis por aquilo que denunciamos hoje.

Em solidaridade,
Adrienne Pine
Assistant Professor of Anthropology
American University
Washington, DC
http://quotha.net